quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Oração a Nossa Senhora Aparecida

Nesta quinta-feira, dia 12 de outubro de 2017, celebra-se os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora no Rio Paraíba do Sul, interior de São Paulo.



 Oração a Nossa Senhora Aparecida 

Ó incomparável Senhora da Conceição Aparecida. Mãe de meu Deus, Rainha dos Anjos, Advogada dos pecadores, Refúgio e Consolação dos aflitos e atribulados, ó Virgem Santíssima; cheia de poder e bondade, lançai sobre nós um olhar favorável, para que sejamos socorridos em todas as necessidades.

Lembrai-vos, clementíssima Mãe Aparecida, que não se consta que de todos os que têm a vós recorrido, invocado vosso santíssimo nome e implorado vossa singular proteção, fosse por vós algum abandonado.

Animado com esta confiança a vós recorro: tomo-vos de hoje para sempre por minha Mãe, minha protetora, minha consolação e guia, minha esperança e minha luz na hora da morte.

Assim pois, Senhora, livrai-me de tudo o que possa ofender-vos e a vosso Filho meu Redentor e Senhor Jesus Cristo. Virgem bendita, preservai este vosso indigno servo, esta casa e seus habitantes, da peste, fome, guerra, raios, tempestades e outros perigos e males que nos possam flagelar.

Soberana Senhora, dignai-vos dirigir-nos em todos os negócios espirituais e temporais; livrai-nos da tentação do demônio, para que, trilhando o caminho da virtude, pelos merecimentos da vossa puríssima Virgindade e do preciosíssimo Sangue de vosso Filho, vos possamos ver, amar e gozar na eterna glória, por todos os séculos dos séculos. 

Amém!

segunda-feira, 3 de julho de 2017

São Tomé

Não nos deixemos levar pelos ventos da incredulidade que nos afastam da experiência verdadeira do Deus único:

“Se eu não vir as marcas dos pregos em suas mãos,
se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos
e não puser a mão no seu lado, não acreditarei” (João 20,25).


Hoje, 03 de julho, celebramos São Tomé. Na tradição, na visão da maioria de nós, ele é o apóstolo da incredulidade; afinal de contas, ele manifestou total incredulidade enquanto não tocou e não viu o Ressuscitado. Mas Tomé não foi só o incrédulo, ele foi um homem de fé, foi aquele que tocou, conferiu e disse: “Meu Senhor e meu Deus". Não só seguiu firmemente Jesus Cristo, mas se tornou Seu apóstolo, Seu discípulo, Seu seguidor, e O levou às nações distantes até morrer por causa do nome de Jesus.

A incredulidade faz parte da nossa vida, ela nos acompanha em muitas situações da vida. Muitas vezes, queremos que Deus nos prove o tanto que nos ama, o tanto que Ele pode fazer por nós. Queremos sinais e manifestações de Deus, estamos exigindo na nossa incredulidade, na nossa pouca fé ou na nossa fé duvidosa, que Ele se manifeste a nós. Muitas vezes, deixamo-nos guiar pelas incertezas, pelas dúvidas e pelos mares agitados que agitam, inclusive, a nossa própria fé.

Hoje, queremos crescer na fé, queremos alimentá-la. Não queremos que ela seja ingênua, imatura, que dependa de sinais visíveis para que seja real. No mundo, as pessoas creem em Deus, apenas não tem fé nem confiança n’Ele. As pessoas sabem que Deus existe, apelam e imploram a Ele, mas a fé não é simplesmente acreditar ou, na hora do desespero, gritar: “Senhor, socorra-me!”.

Fé é acreditar sem ver, é viver na fé mesmo sem encontrar nenhuma perspectiva pela frente. É a fé da confiança, da certeza, da entrega, da relação mútua que existe entre eu (filho) e Deus (Pai). Eu creio n’Ele, porque Ele é Deus, não creio n’Ele por aquilo que Ele me dá, daquilo que Ele consegue para mim e assim por diante. Eu creio em Deus, porque Ele é Deus e eu sou Seu filho!

Que a nossa fé seja cada vez mais madura, mais consistente e real. Não nos deixemos levar pelos ventos da incredulidade que nos afastam da experiência verdadeira do Deus único em nossa vida.

Deus abençoe você!

sábado, 3 de junho de 2017

O erro da professora

 

Um dia uma professora escreveu assim no quadro:

9×1 = 7           9×6 = 54
9×2 = 18         9×7 = 63
9×3 = 27         9×8 = 72
9×4 = 36         9×9 = 81
9×5 = 45         9×10 = 90


Na sala não faltaram piadas porque ela tinha errado o 9×1 = 7, sendo que a resposta certa é 9.

Vários alunos ficaram rindo da cara dela. Então ela esperou todo mundo se calar para falar:

- É assim que você é visto no mundo. Errei de propósito pra mostrar a vocês como o mundo se comporta diante de algum erro seu. Ninguém te elogiou por ter acertado nove vezes, ninguém te viu acertando e te deu os parabéns, mas todos te ridicularizaram, falaram mal de você, riram da tua cara e zombaram porque você errou apenas uma vez.

Assim é a vida:

Devemos aprender a valorizar as pessoas pelos acertos. Muita gente acerta muito mais do que erra, mas acaba sendo julgada por apenas um erro, e não valorizada pelos vários acertos.

Reflita: 

Isso serve para todos nós. 
Mais elogios e menos críticas. 
Mais carinho e menos crueldade. 
Mais amor e menos ódio.
Vamos tentar?

quarta-feira, 3 de maio de 2017

O melhor amigo

Um dia na Palestina, pelas ruas e nas praças,
na beira do mar, peregrino,
um homem chamado Jesus aproximou-se do povo,
acariciando as crianças.
Gritava pelos caminhos:
- Quero ser o vosso amigo.

Suas mãos abençoavam, tinha palavras de vida,
sabia chorar com os tristes, compartilhar alegrias.
Dava seu tempo aos humildes,
seu carinho aos abatidos,
estava junto dos que procuram
e consolava os mendigos.
Gritava pelos caminhos:
- Quero ser o vosso amigo.

A voz do povo corria, anunciando maravilhas:
tem um homem pelas ruas que deseja ser amigo,
tem um home nas calçadas que leva a paz consigo.
Gritava pelos caminhos:
- Quero ser o vosso amigo.

Por defender a verdade, por amar os inimigos,
ser esperança dos pobres, dos humildes e oprimidos,
deu sua vida o peregrino.
Mas aquela voz amiga ressuscitou no domingo,
anunciando para sempre:
- Quero ser o vosso amigo.

(Do livro "De mãos Dadas", de Avelino A. Correa e Amélia Schneiders, ed. Scipione.)




segunda-feira, 1 de maio de 2017

A oração da Virgem Maria


Maria é alguém muito próximo de nós e, por isso, devemos aprender a rezar com o estilo de Maria. Ela nos dá muitos ensinamentos simples para a nossa oração.

Maria, na casa de Nazaré, estava em oração quando o anjo lhe apareceu.

O diálogo entre eles é a oração. O anjo representa o próprio Deus que fala. O interessante é a atitude de Maria, que escuta e responde. É um diálogo com Deus. Diálogo familiar com Aquele que nos ama.

Notamos, então, três atitudes simples e fundamentais da oração da Virgem Maria: Admiração / Discernimento / Disponibilidade

Atitude de Admiração e surpresa pela visita de Deus. Admiração pelo respeito que Deus mostra por ela e como Deus nos está próximo, nos respeita, se coloca diante de nós e pede nosso consentimento.

Atitude de Discernimento quando Maria pergunta: "E como acontecerá tudo isto?". Não é uma dúvida, mas sim uma atitude de discernimento. Ela não questiona as razões de Deus. Eu creio, confio, mas qual é o meu papel, o que devo fazer? Também nós, quando Deus me pede algo, precisamos perguntar, na oração, como se fará, qual a nossa colaboração, o que devemos fazer?

Atitude de Disponibilidade quando Maria diz: "Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a Tua palavra". É a atitude mais profunda da oração: disponibilidade e colaboração responsável. Estamos dispostos a fazer, em tudo, a vontade de Deus.

Estas três atitudes podemos aprender de Maria. Buscar a vontade do Senhor com disponibilidade plena, abandono total, com plena confiança e amor, para seguir, no caminho da fé, os seus desígnios.


(Fonte: Revista Brasil Cristão - Texto: Pe. Francisco Sehnem, scj)

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Obreiro incansável


Quem semeia ventos colhe tempestades. 

Plantemos paz e harmonia;

é sempre mais sábio e gratificante. 

Por que demolir, arrasar,

se você nasceu para ser obreiro incansável

num século a ser reconstruído desde seus alicerces?
.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Flores à beira dos caminhos


De um modo ou de outro, 
mais cedo ou mais tarde,
todos acabamos nos tornando caminho 
para alguém que nos procura...
caminho certo ou desvio errado!


Às vezes plantam-se flores na beira dos caminhos...

Assim, enfeita-se um pouco a longa e penosa viagem que é nossa vida na terra;

Assim, um pouco se esquece esta ansiedade da busca desse pão de cada dia que se torna, com frequência, um cada dia sem pão.

Sim, é bom que existam flores ao lado da nossa estrada para dizerem "bom dia" ao viajante que passa, desejando boa viagem e ainda feliz regresso.

E este é mesmo um bom desejo, pois nossos caminhos loucos, cheios de tantos assaltos, batidas mil e acidentes, quantas vezes se transformam em rota de cemitérios!

Por isso, sim, haja flores à beira dessas estradas e haja mais flores ainda na vida de quem caminha: flores de paz e esperança, alegria de ida e volta, abraços de quem espera e sorrisos de quem chega!

(Héber S. de Lima)
.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...