domingo, 25 de dezembro de 2016

Um Natal de luz para todos!


Que o Natal seja bem mais do que festas e presentes,
que seja antes de qualquer outra coisa,
um momento de amor, de renovação,
de recomeço, de fé, bondade e solidariedade.

Que seja compartilhado e vivido para fazer bem ao outro
e que sirva como inspiração para guiar nossas vidas
no próximo ano que se inicia.

Um Natal de luz para todos!

domingo, 18 de dezembro de 2016

4º Domingo do Advento

Senhor Deus, que olhais com bondade para nossa humanidade, fazei-nos servidores de Vosso Reino, a exemplo de Maria que não hesitou em Vos servir generosamente. Dai-nos o alento da Vossa misericórdia e conservai-nos nos caminhos de Vosso Filho Jesus, que vem para nosso meio e nos salvará.

Oremos:
Ajudai-nos, Senhor, cumprir em nossa vida
a Vossa vontade e Vos servir com amor.
Amém!

domingo, 11 de dezembro de 2016

3º Domingo do Advento

A cada ano, com o Tempo do Advento, o Senhor nos dá a oportunidade de preparar os caminhos para a chegada de seu Filho amado e nosso irmão Jesus Cristo. Louvores sejam dados a Deus, pelas muitas vidas que se entregam, para que o Cristo seja acolhido e amado no mundo.

Oremos:
Senhor, com amor, a exemplo de João Batista,
entregamos nossa vida, para que através do nosso louvor,
todos se sintam chamados a participar de Vosso Reino.
Amém!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Minha árvore de Natal


Quisera, Senhor, neste Natal,
armar uma árvore dentro do meu coração
e nela pendurar, em vez de presentes,
os nomes de todos os amigos.

Os amigos de longe e os de perto.
Os antigos e os recentes.
Os que vejo todos os dias
e os que raramente encontro.
Os das horas difíceis
e os das horas alegres.
Os que sem querer eu magoei
ou, sem querer, me magoaram.
O nome de todos os que já
passaram pela minha vida.
Os que me admiram e me estimam.

Quisera, Senhor, neste Natal,
armar uma árvore de raízes muito profundas,
para que seus nomes nunca sejam
arrancados de minha vida.
Uma árvore de sombra muito agradável,
para que nossa amizade seja um momento
de repouso no meio da luta da vida,

Que neste Natal
e em todos os dias do ano que está por vir,
nossa amizade seja grande e forte
como o amor de Jesus Cristo.
.

domingo, 4 de dezembro de 2016

2º Domingo do Advento

Senhor Deus, ressoam muitas vozes em nosso mundo. E entre elas há as que não conduzem à vida, à harmonia e à paz. Fazei com que a luz de Vosso Advento nos faça profetas de esperança e de vida em nosso mundo dilacerado por tantas discórdias. Acendei em nós a luz de Vossa bondade e misericórdia infinitas.


Oremos:
Ressoe em nosso coração e no mundo inteiro
a voz da profecia da esperança e da paz.
Amém!

domingo, 27 de novembro de 2016

1º Domingo do Advento

O Senhor nos chama à vigilância. As comunidades reunidas no Senhor e ouvintes à Sua palavra, estarão atentas aos sinais dos tempos, descobrirão neles a vontade do Pai. O Senhor espera que estejamos vigilantes no amor, na misericórdia e na construção do Reino. "Vigiai", nos diz o Senhor. Que a claridade da luz do Advento de Cristo nos faça perseverantes na fé.

Oremos:
Fazei-nos, Senhor, vigilantes no amor,
na misericórdia, na paz e na concórdia de Vosso Reino.
Amém!


segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Ele nos ensinou amar até o fim


Cristo é o Senhor do céu e da terra. Deu-nos o exemplo da generosidade de sua vida dedicada ao serviço.

O Pai manifestou seu amor a seu Filho dizendo: "Este é meu Filho amado", mas os homens o colocaram sobre a cruz, para dele zombar: "Este é o Rei dos Judeus".

Somos Igreja, chamados para servir e agir em favor da caridade, da justiça, da paz e na defesa da vida.

Ele veio para dar a vida e salvar, e nós somos chamados por Ele a fazer a mesma coisa.

Ele é o Senhor no amor, na misericórdia e no serviço.


(Fonte: Deus Conosco - Semanário Litúrgico, Ano XLVI, nº 55, Ano C, 20-11-2016)

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

A oração de súplica


O vocabulário da oração de súplica é rico no Novo Testamento: pedir, reclamar, chamar com insistência, invocar, gritar e, até, lutar na oração. Mas a sua forma mais habitual é o pedido. É pela oração de súplica que identificamos nossa relação com Deus.

Sendo criaturas, não somos a nossa origem, nem donos das adversidades; mas, sendo pecadores, sabemos que nos afastamos do Pai. Assim, a petição é já uma volta para Ele.

O sentido mais belo da súplica é lutar na oração, lutar com Deus até que Ele, vencido pela nossa fé e pelos nossos desejos, conceda o que pedimos. Por isso, antes de pedir, devemos pensar bem se o pedido não é supérfluo, inútil ou até ofensivo a Deus.

Deus Pai quer que peçamos com confiança o que nos faz falta. Não devemos ter vergonha de pedir, mas há coisas que são mais importantes, e Jesus as indica: a vida eterna, a salvação, o bem de todos, o Reino de Deus, que é paz e justiça. O Pai-Nosso pode ser a primeira parte da oração. Depois se pede o que diz respeito à nossa realidade humana e cristã.

O pedido de perdão é o primeiro da oração de petição. A humildade repõe-nos na comunhão com o Pai, com Jesus Cristo e com o próximo. Nestas condições, “seja o que for que Lhe peçamos, recebê-lo-emos” (1 Jo 3, 22).

A petição cristã está centrada no desejo e na busca do Reino que há de vir. E há uma hierarquia nas petições: primeiro, o Reino; depois, tudo quanto é necessário para acolhê-lo e cooperar com a sua vinda.

A eficácia da oração de súplica depende também da insistência. Jesus disse: “rezai sem desanimar”.

Fonte: Revista Brasil Cristão (nov/2015) - Texto: Pe. Francisco Sehnem, scj

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Milagre Eucarístico na Polônia


Um novo Milagre Eucarístico na Polônia

Dom Zbigniew Kiernikowski, Bispo de Legnica, na Polônia, aprovou no dia 17 de abril de 2016, a veneração de uma santa Hóstia Consagrada que sangra, devidamente comprovado o fenômeno milagroso, a qual, nas palavras do prelado, “possui as características distintivas de um Milagre Eucarístico”.

O milagre se sucedeu no Natal de 2013, quando uma Hóstia consagrada caiu no chão da igreja da paróquia polonesa de San Jacek (São Jacinto), segundo relata o Sr. Bispo em seu comunicado, e que depois de recolhida e posta em um recipiente com água, segundo certa norma ("vasculum"), para que se consumisse. Porém, apareceu uma mancha vermelha na Hóstia de textura estranha, que parecia tecido humano.



Dom Stefan Cichy, que era então o Bispo de Legnica, criou uma comissão especial para analisar a Hóstia. Em fevereiro de 2014, um pequeno fragmento da Hóstia foi colocado sobre um corporal e passou por provas de vários distintos institutos médicos forenses e análises clínicas.

Para a maravilha e exultação de todo o povo cristão, o comunicado final do Departamento de Medicina Forense atestou, entre outros pontos, que:

"Na imagem histopatológica, foi descoberto que os fragmentos de tecido contêm partes fragmentadas de músculo estriado transversal. Se assemelha em grande medida a um músculo cardíaco que havia padecido estresse e sofrimento com as alterações que aparecem frequentemente durante a agonia. Os estudos genéticos indicam a origem humana do tecido".

Dom Kiernikowski confirmou que, em janeiro deste ano (2016), apresentou o caso à Congregação para a Doutrina da Fé do Vaticano. E em abril, de acordo com as recomendações da Santa Sé, o prelado pediu ao pároco de Saint Jack, Andrzej Ziombrze, que prepare "um lugar adequado para as Relíquias, de tal forma que os fiéis pudessem venerá-las”.



(clique na imagem para ampliá-la)


San Jacek, um santo eucarístico medieval

No site dedicado a devoção a San Jacek, o santo sacerdote polaco do séc. XIII ao que está dedicada a Igreja dos feitos (também chamado às vezes Saint Jack e São Jacinto) chama a atenção sobre o fato de que este santo polaco foi um grande predicador da Eucaristia e adorador do Santíssimo, e que na iconografia se representa com a Eucaristia nas mãos.

Dizem seus biógrafos que em 1240 os mongóis atacaram a cidade de Kiev, onde o santo estava rezando perante o Santíssimo. Ao saber que a cidade caía em mãos dos bárbaros, tomou o Santíssimo e se dispunha a empreender a fuga. Mas então ouviu uma voz que vinha da imagem de alabastro da Virgem: "Jacek, como te escapas e me deixas só? Leva-me contigo". "Madre querida, esta estátua é muito pesada, como vou levá-la?", disse ele. "Meu Filho fará que seja leve, toma-a", disse a Virgem. Efetivamente, a estátua se fez leve como uma pluma e Jacek pôs o Santíssimo e a estátua debaixo de seu manto. Acompanhado de outros religiosos conseguiu cruzar o rio e atravessar o acampamento mongol milagrosamente, sem ser detectado.

Jacek foi canonizado no séc. XVI, em plena controvérsia com os vizinhos protestantes que negavam o valor sacramental da Eucaristia e a veneração especial a Maria: como reação, Jacek (Jacinto, no processo de canonização romano) aparece em ícones, pinturas e esculturas com a Virgem em uma mão e a Eucaristia na outra.


quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Saudade sim, tristeza não!

 
O dia de Finados não é dia de tristeza, mas sim um dia de saudosa recordação, confortada pela fé que nos garante que nosso relacionamento com as almas dos falecidos não está interrompido pela morte, mas que está sempre vivo.

Saudade sim, tristeza não!

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Deus sempre age certo


Certa vez, um homem pediu a Deus uma flor e uma borboleta,
mas Deus lhe deu um cacto e uma lagarta.

O homem ficou triste pois não entendeu o porquê do seu pedido vir errado.

Daí pensou: também, com tanta gente para atender…
E resolveu não questionar.

Passado algum tempo, o homem foi verificar o pedido que deixou esquecido. 

Para sua surpresa, do espinhoso e feio cacto havia nascido a mais bela das flores
e a horrível lagarta transformou-se em uma belíssima borboleta.


Deus sempre age certo.
O seu caminho é o melhor, mesmo que aos nossos olhos
pareça estar dando tudo errado.

Se você pediu a Deus uma coisa e recebeu outra, confie.
Tenha a certeza de que Ele sempre dá o que você precisa, no momento certo.

Nem sempre o que você deseja, é o que você precisa.

Como Ele nunca erra na entrega de seus pedidos,
siga em frente sem murmurar ou duvidar.

O espinho de hoje, será a flor de amanhã!
.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Um tempo para Cristo



"Rezar significa dar um pouco
do seu tempo para Cristo"

(Tradução da frase de São João Paulo II, escrita em alemão)


Lembrança da JMJ 2016 - Cracóvia,
que nos foi carinhosamente entregue pelo seminarista Michel que participou da jornada.


quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Faça-nos vitoriosos, Senhor Jesus!

 A palavra exaltar significa erguer, levantar, tornar grandioso, louvar, celebrar.

Na festa da Exaltação da Santa Cruz, a Santa Igreja quer nos ensinar que um símbolo da morte, da humilhação, do escárnio, passou a ser, por Jesus Cristo, um símbolo de vitória, de cura, de libertação, de vida, de eternidade.

A Cruz de Cristo, que é loucura para alguns, é um símbolo de vitória para os que têm fé, para os que acreditam em Jesus, na salvação que Ele nos trouxe, morrendo numa cruz, mas ressuscitando dos mortos.

Portanto, não é a cruz que salva, mas a ressurreição de Cristo. É Deus que volta à vida depois de passar pelo martírio. Do mesmo modo, então te pedimos, Senhor Jesus: faça-nos vitoriosos e cura-nos de todo os males do corpo e da alma.

Jesus, que é Deus com o Pai e o Espírito Santo, se humanizou para nos salvar. Abriu mão de sua divindade, tornou-se igual a todos nós com exceção do pecado, para que pudéssemos voltar à amizade com Deus Pai. Por isso a Sua cruz é importante para nós.

No próximo dia 11 de setembro em que celebraremos a Exaltação da Santa Cruz, peçamos a Jesus com fé, que Ele cure os nossos males. Amém!

(Pe. Eduardo Dougherty, sj)

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Jesus ouve a nossa oração


A oração dirigida a Jesus é ouvida por Ele já durante seu ministério, por meios dos sinais que antecipam o poder de sua Morte e Ressurreição: Jesus ouve a oração de fé, expressa em palavras (o leproso, Jairo, a Cananéia, o bom ladrão), ou em silêncio (os carregadores do paralítico, a hemorroíssa que lhe toca as vestes, as lágrimas e o perfume da pecadora).

Quer na cura das enfermidades, quer na remissão dos pecados, Jesus responde sempre à oração que implora com fé: "Vai em paz, tua fé te salvou!"

Santo Agostinho resume as três dimensões da oração de Jesus: "Ele ora por nós como nosso sacerdote, ora em nós como nossa cabeça, e a Ele sobe nossa oração como ao nosso Deus".

Deus sempre ouve as nossas orações? Jesus disse: "Tudo o que pedirdes com fé, na oração, vós o alcançareis" (Mt 21, 22). No entanto essa afirmação parece um tanto inadequada, visto que nem tudo o que se pede a Deus, Ele concede. Mas, diante da oração, Deus sempre diz sim. Algumas vezes Ele diz: "Sim, já!" E a graça acontece logo. Outras vezes, diz: "Sim, mas não agora! Vou lhe dar no tempo certo".  Em outra oportunidade, diz: "Sim, mas não o que você pede! Vou lhe dar algo melhor, porque o que você está pedindo não é bom, vai te prejudicar". Deus concede aquilo que é necessário para a pessoa, talvez não exatamente o que ela está pedindo.

Não existe oração "fraca". A oração é sempre "poderosa", porque ela significa relacionamento com Deus que é todo poderoso. No entanto, a eficácia da oração depende do estado de espírito da pessoa que reza, da fé que ela tem em Deus e da confiança na providência divina.

(Pe. Francisco Sehenem, scj)

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Que dia é hoje?

 
Hoje é o dia de escutar o silêncio,
vê-lo no voo das gaivotas,
mergulhando na liberdade do mar.

Hoje é o dia de fazer alguém feliz,
mesmo que esse alguém seja você.

Hoje é dia de contemplar os cumes
e dar mais um passo em busca do Sagrado.
.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Nossa Senhora da Assunção


No dia 16 de agosto celebramos Nossa Senhora Assunta ao céu, em corpo e alma, ao término de sua vida na terra, estimada aos 72 anos de idade.

Este Dogma, proclamado pelo Papa Pio XII, em 01/11/1950, é uma consequência lógica do que aconteceu a Maria, escolhida por Deus para ser a Mãe do Salvador: ela foi concebida sem pecado original, nunca pecou e permaneceu sempre virgem.

Sabendo que a morte não foi criada por Deus, mas que entrou no mundo por causa do pecado do homem, Maria, que nunca manchou sua alma não merecia experimentar a morte e suas consequências.

Assim, nas palavras do Papa Pio XII, "a Imaculada Mãe de Deus, terminado o curso da vida terrestre, foi assunta em corpo e alma à glória celestial. Maria, desde toda a eternidade, unida misteriosamente a Jesus Cristo, obteve, como ele, pleno triunfo sobre o pecado e alcançou ser guardada imune da corrupção do sepulcro, como suprema coroa dos seus privilégios. Assim, uma vez elevada em corpo e alma à glória celeste, refulge à direita do seu Filho, o imortal rei dos séculos".

O dogma da Assunção é recente, mas essa devoção existe desde os primeiros séculos da Igreja.

Invoquemos Nossa Senhora Assunta ao céu, para que Ela continue abençoando a humanidade que a Ela recorre, com fé e esperança, pedindo a força para lutar contra as ciladas do maligno.

Digamos com a Igreja: "Cremos que, na glória onde reinais, revestida do sol e coroada de estrelas, sois, depois de Jesus, a alegria e o júbilo de todos os anjos e santos. E, nós, da terra onde somos peregrinos, confortados pela fé na ressurreição, volvemos nossos olhos para vós, nossa vida, doçura e esperança".

Com a certeza do amparo de Maria sairemos vitoriosos e seremos acolhidos por ela no céu. 

Fonte: Revista Brasil Cristão - Texto: Pe. Guido Mottinelli

sábado, 13 de agosto de 2016

Qual é o mais importante?

 

Qual é o dia mais importante?
Hoje.

Qual é a hora mais importante?
Agora.

Qual é o lugar mais importante?
Aqui.

Qual é a pessoa mais importante?
Aquela que está na sua frente.

.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Décimo Mandamento


"Não cobiçar as coisas alheias" (Ex 20, 17). Este mandamento tem como suporte a regra do amor. Quem ama o próximo não quererá apropriar-se de seus bens: eis a mística deste mandamento. Porque o coração humano é desejoso de possuir e de se apropriar dos bens materiais, desordenada e até injustamente.

Deus Pai nos exorta a que tenhamos cuidado e saibamos vencer a tentação da cobiça, do desejo desordenado de se apropriar dos bens alheios.

Dentro do coração humano existe a tentação do possuir os bens materiais. É uma tentação tão forte que é capaz de dominar a vontade das pessoas, que passam a ser escravas dessa tendência, capazes de usar todos os expedientes para se apropriar dos bens alheios. Não é uma tentação ausente nos ricos, pelo contrário, aqueles que possuem muitos bens, querem tê-los sempre mais.

Este mandamento denuncia a ambição desregrada de bens materiais, a inveja por causa dos bens alheios, o apego desordenado a posses materiais, as negociatas e jogadas de toda espécie para enriquecer-se ou possuir desonestamente.

Este mandamento proíbe a ambição desregrada. A inveja é a tristeza sentida diante do bem de outrem e o desejo imoderado de dele se apropriar; é um vício capital. O batizado combate a inveja pela benevolência, a humildade e abandono nas mãos da Providência Divina.

Os fiéis de Cristo "crucificaram a carne com suas paixões e concupiscências" (Gl 5, 24); são conduzidos pelo Espírito e seguem seus desejos.

O desapego das riquezas é necessário para entrar no Reino dos Céus. "Bem-aventurados os pobres de coração". Eis o verdadeiro desejo do homem: "Quero ver a Deus".

Pe. Alírio J. Pedrini, scj

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Nono Mandamento


A mística deste mandamento está,como em todos os outros, no amor. O amor só quer e só faz o bem. O amor jamais admite destruir um matrimônio, um lar, uma família, pela sedução e conquista da esposa ou do marido do próximo, que é irmão.

Porque a "carne é fraca", o Pai celeste propõe este mandamento como um indicativo especial para que haja todo cuidado sobre as possíveis tentações que possam surgir no coração, em relação à esposa ou ao marido de outro casal.

Quantos lares desfeitos, quantos sofrimentos familiares, quantos filhos, esposas ou maridos traumatizados, por causa da queda nesta tentação. É por grande amor grande amor para com os casais e para com seus filhos que Deus nos dá este mandamento.

A cobiça da esposa ou do marido do casal próximo pode ser uma tentação de momento, porque os desejos carnais estão sempre presente nas pessoas de ambos os sexos. Quando a pessoa tentada de cobiça cultiva a castidade, ela reage de imediato contra a tentação e consegue guardar a castidade dos desejos. A cobiça do marido ou da esposa do próximo se torna fato consumado quando o tentado não é casto, não tem um firme amor para com o seu cônjuge, ou é uma pessoa que tem fraqueza moral ou hábitos adulterinos e encontra alguém que também não tem autodomínio e, por isso, quando dois querem, o adultério acontece.

O nono mandamento adverte contra a cobiça ou concupiscência carnal. A luta contra a cobiça carnal passa pela purificação do coração e a prática da temperança.

A pureza do coração nos permitirá ver a Deus e nos permite, desde já, ver todas as coisas segundo Deus. A purificação do coração exige a oração, a prática da castidade, a pureza da intenção e do olhar. A pureza do coração exige o pudor que é paciência, modéstia e discrição. O pudor preserva a intimidade da pessoa.

(Pe. Alírio J. Pedrini, scj)

terça-feira, 21 de junho de 2016

Abra a janela

 

Abra a janela
e abrace um novo dia
com o olhar de uma criança.

Tudo canta,
tudo é fascínio,
na leveza do vento,
das flores.

Tudo é vida!
.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Dois tipos de pessoas


Esta imagem remete ao famoso ditado popular sobre: “Fazer tempestade em copo d’agua.”

Como o desenho mostra, são copos iguais, cheios com a mesma quantidade de água, mas com duas reações diferentes.

Enquanto uma pessoa se afoga, outra flutua. Sabe por que isso?

Porque não são as situações que roubam a nossa paz, mas a nossa forma de reagir a elas…

Na vida é sempre assim:
     - Enquanto um reclama do que acontece, o outro agradece;
     - Enquanto um fala mais do que devia, o outro silencia;
     - Enquanto um se apavora, o outro ora.

Situações parecidas, reações diferentes, diante de Deus Pai que é o mesmo para todos, por isso busque  Nele forças e alternativas para vencer as batalhas da vida e lembre-se sempre de agradecer.

Aprenda que: às vezes você não pode controlar o que acontece com você, mas pode treinar a forma de como reagir diante do que lhe acontece.

E você, que tipo de pessoa é? Aquela que afoga ou a que flutua? Pense nisso!

.

sábado, 18 de junho de 2016

Fábrica de ilusões


No delírio da propaganda tudo é:
            - único,
            - fabuloso,
            - formidável,
            - sensacional.
Que ilusão!!!
Geladeiras e carros prometendo felicidade.

Perguntas para refletir:
   - Vivemos ou somos manipulados?
        - Agimos ou somos condicionados?
             - Pensamos ou somos programados?
                  - Caminhamos ou somos arrastados?

Nossa vida não é uma máquina de consumo.
É urgente encontrar tempo e espaço para as coisas de Deus.

.

terça-feira, 14 de junho de 2016

Nossa Senhora Mãe de Deus


Você sabia que a primeira festa para Nossa Senhora que apareceu na Igreja foi a chamada de “Santa Maria Mãe de Deus”?

Começou a ser celebrada em Roma no século VI e alguns anos depois o Papa Pio XI instituiu oficialmente essa linda festa.

Muito tempo depois, após o Concílio Vaticano II, a festa ficou oficialmente estabelecida no dia 1º de janeiro, com a categoria de solenidade e com título de Santa Maria Mãe de Deus, assim, os católicos começam o ano pedindo a proteção da Santíssima Virgem Maria.

Curiosidade

Foram encontradas pinturas com o nome de “Maria, Mãe de Deus” (Theotókos) nas Catacumbas (cemitérios subterrâneos dos primeiros cristãos, cavados debaixo da cidade de Roma).


Fonte: Tia Adelita - Canção Nova

sábado, 11 de junho de 2016

O servo de todos

Tu és meu Filho Amado!


João Batista estava no rio Jordão quando Jesus chegou para ser batizado. Como João recusava fazê-lo, Jesus disse: "Deixa por agora, pois convém cumprirmos a justiça completa" (Mt 3, 13-17). Depois, ao sair do rio, o Espírito Santo desceu sobre Jesus, em forma de pomba, e ouviu-se uma voz vinda do céu: "Eis meu Filho muito amado em quem ponho minha afeição".

O batismo de Jesus dá início à sua vida pública. É, também, a manifestação (Epifania) de Jesus como Messias de Israel e Filho de Deus.

Seu batismo é a aceitação da sua missão de Servo sofredor e Ele deixa-se contar entre os pecadores, para que se cumpra toda a justiça, submetendo-se inteiramente à vontade de seu Pai. Ou seja, Jesus aceita, por amor, esse batismo de morte para a remissão de nossos pecados (CIC 536)*, para nos salvar. E, ao aceitar a sua missão, Jesus agrada a Deus Pai, pois Ele deseja a nossa salvação, que só pode acontecer através da morte e ressurreição de seu Filho.

O batismo de Jesus abre o céu que o pecado de Adão havia fechado para nós. O Senhor Jesus abre mão de sua divindade para se tornar igual a nós em tudo, exceto no pecado. E nos convida, através de nosso batismo, a nos tornarmos iguais a Ele em tudo.

(Pe. Eduardo Dougherty, sj - Fundador e Presidente de Honra da ASJ)

* CIC = Catecismo da Igreja Católica

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Sacramento da Comunhão



Senhor, quando Te vejo no sacramento da comunhão
Sinto o céu se abrir e uma luz a me atingir
Esfriando minha cabeça, esquentando meu coração

Senhor, graças e louvores sejam dadas a todo momento
Quero Te louvar na dor, na alegria e no sofrimento
E se em meio à tribulação, eu me esquecer de Ti
Ilumina minhas trevas com Tua luz

Jesus, fonte de misericórdia que jorra do templo
Jesus, o Filho da Rainha
Jesus, rosto divino do homem
Jesus, rosto humano de Deus  (Bis)

Chego muitas vezes em Tua casa, meu Senhor
Triste, abatido, precisando de amor
Mas depois da comunhão Tua casa é meu coração
Então sinto o céu dentro de mim

Não comungo porque mereço, isso eu sei, oh meu Senhor
Comungo pois preciso de Ti
Quando faltei à missa, eu fugia de mim e de Ti
Mas agora eu voltei, por favor aceita-me

Jesus, fonte de misericórdia que jorra do templo
Jesus, o Filho da Rainha
Jesus, rosto divino do homem
Jesus, rosto humano de Deus  (Bis)

domingo, 5 de junho de 2016

Oitavo Mandamento


"Não levantarás falso testemunho contra teu próximo" (Ex 20, 16). Os discípulos de Cristo "revestiram-se do homem novo, criado, segundo Deus, na justiça e santidade da verdade" (Ef 4, 24). A verdade é virtude que consiste em mostrar-se verdadeiro no agir e no falar.

O espírito deste mandamento consiste na importância e na necessidade da verdade, de sempre se usar a verdade em todos os relacionamentos. Deus é a verdade. Revelou toda a verdade a seus filhos, e quer que aprendamos, vivamos, falemos e propaguemos a verdade.

Este mandamento nos chama a viver, a falar, a defender e a testemunhar a verdade dos fatos e acontecimentos. Em sentido oposto, este mandamento nos impõe a jamais testemunhar a favor da falsidade, da mentira, do erro, do crime. Este mandamento exclui: ser ou apresentar falso, jurar falso, mentir, caluniar, difamar, maldizer, bajular, adular, revelar segredos confiados, não guardar segredos profissionais. Este mandamento proíbe falsear a verdade nas relações com os outros. Essa proibição moral decorre da vocação do povo santo a ser testemunha de seu Deus, que é e quer a verdade.

O respeito à reputação e à honra das pessoas, proíbe toda atitude ou palavra de maledicência ou calúnia. A mentira consiste em dizer o que é falso com a intenção de enganar o próximo.

"O sigilo sacramental é inviolável". Os segredos profissionais devem ser guardados. As confidências prejudiciais a outros não devem ser divulgadas. A sociedade tem direito a uma informação fundada na verdade, na liberdade e na justiça.

"A verdade ou veracidade é a virtude que consiste
em mostrar-se verdadeiro no agir e no falar,
fugindo da duplicidade, da simulação e da hipocrisia"

(Pe. Alírio J. Pedrini, scj)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...